Confira 12 dicas para melhorar o Wi-Fi da sua casa e do trabalho

Hoje em dia ninguém mais consegue viver sem internet, não é mesmo? Permanecer conectado já virou uma necessidade como tantas outras e, por isso, é preciso fazer de tudo para melhorar o Wi-Fi em casa ou no trabalho. Além disso, não basta apenas “estar conectado”, mas também é relevante ter uma conexão de qualidade, rápida e estável.


Infelizmente, todos sabem como é ter uma internet ruim, que cai com muita frequência ou que falha para carregar até os sites mais simples. A boa notícia é que há muitas coisas que você pode fazer para melhorar essa conexão.


Caso esteja com esse tipo de problema, veio ao lugar certo! Neste artigo, mostramos 12 dicas para que você consiga dar um upgrade no sinal do Wi-Fi com soluções simples e rápidas. Confira!


Elementos que prejudicam o sinal do Wi-Fi

Sabemos que você quer logo conhecer quais são as dicas para melhorar o Wi-Fi, mas vamos com calma. Primeiro você precisa entender o que pode interferir no sinal para tentar mudar algumas coisas antes de ligar para o suporte. Confira aqui alguns exemplos!


Paredes

Um dos obstáculos mais comuns para a propagação do Wi-Fi são as paredes. Isso porque elas simplesmente barram boa parte do sinal, impedindo que ele circule livremente pelo espaço. Por isso, uma boa ideia é não deixar o roteador em lugares tão fechados.


O material usado na construção pode gerar mais interferência que outros. O tijolo, por exemplo, é menos denso na absorção da radiofrequência em relação ao gesso e ao concreto.


O cômodo que mais atrapalha o sinal do Wi-Fi é o banheiro, por conta do azulejo nas paredes. Quando ele está fechado, o sinal pode não se propagar tão bem quanto em outros ambientes.


Algumas telas LCD

Em alguns modelos de tela LCD pode existir a emissão de correntes harmônicas, que nada mais são que correntes elétricas capazes de distorcer as ondas de um sinal Wi-Fi. As chances de isso acontecer podem ser ainda maiores para quem usa a internet na frequência de 2,4 GHz.


Uma possível solução é mudar a frequência para 5 GHz. Se, por um acaso, o roteador não for compatível e você perceber que está enfrentando esse tipo de problema, talvez tenha chegado a hora de investir em um novo modelo.


Também é interessante prestar atenção nos smartphones de quem utiliza o espaço, porque os mais antigos podem não ser compatíveis com essa frequência.


Micro-ondas e alguns dispositivos sem fio

Alguns objetos, como telefones fixos sem fio, fornos micro-ondas e até assistentes virtuais, como a Alexa, também podem interferir no sinal do Wi-Fi. Assim como as telas LCD, eles também operam na frequência de 2,4 GHz e podem atrapalhar o desempenho do roteador.


A dica para esses aparelhos pode até parecer repetitiva, mas a solução pode realmente ajudar: o melhor é se certificar de que o roteador seja compatível com a frequência de 5 GHz e fazer a mudança. Com ela, sua internet não estará sujeita à interferência de outros eletrônicos, como câmeras de segurança e até alto-falantes, deixando o ambiente mais limpo para a propagação do sinal.


Água

Chega a ser até estranho pensar que algo tão natural como a água possa interferir no sinal do Wi-Fi, não é? Pois saiba que quanto maior a concentração do líquido no ambiente, maior pode ser a interferência. Mas isso não acontece em piscinas ou na praia porque são ambientes abertos — o que acaba facilitando a propagação do sinal.



Dentro de casa, porém, a situação muda completamente. Isso porque existem lugares onde a água se concentra em grandes proporções, como nos aquários. Por isso, eles não podem ficar perto dos roteadores, nem sequer na mesma direção. Caso contrário, você pode ter problemas e não conseguir melhorar o Wi-Fi para conectar seus aparelhos.


Espelhos

Um objeto que a maioria das pessoas nem imagina que pode impedir o Wi-Fi de funcionar perfeitamente é o espelho. Mesmo que a superfície metálica seja altamente refletora — o que pode até ser útil para espalhar o sinal —, dependendo da posição do espelho ele pode se tornar um vilão e atrapalhar em vez de ajudar.


Assim sendo, é preciso que nenhum espelho fique posicionado de frente para o roteador. Se isso acontecer, o sinal pode sofrer com o efeito bate e volta, ou seja, não será propagado corretamente pelos ambientes. Aqui, é preciso pontuar que o espelho em si não é o culpado pela interferência, mas sim o revestimento metálico que fica na parte traseira dele.


Dicas para melhorar o Wi-Fi de casa ou do trabalho

Se mesmo depois de tentar algumas soluções você sentir que ainda precisa melhorar o Wi-Fi, não tem problema. A seguir, listamos 12 dicas que você pode tentar para deixar o sinal melhor e mais rápido, seja para estudar, seja para trabalhar ou para se divertir. Confira!


1. Reinicie os equipamentos

O passo mais simples — e até mais óbvio — é reiniciar o roteador assim que notar o sinal do Wi-Fi mais fraco. Nesse ponto é preciso ter atenção, já que esse procedimento equivale a desligar o aparelho da tomada e religar após, aproximadamente, 30 segundos. Muitas pessoas confundem esse processo com o de resetar o roteador, o que faz com que ele perca todas as suas configurações, e isso não é indicado!


O segundo passo é reiniciar o computador assim que o roteador ligar novamente. Pode ser que algo no próprio aparelho esteja impedindo a internet de funcionar como deveria e, por isso, o processo pode ajudar.


2. Verifique a posição das antenas

A antena do roteador, quando não é interna, é uma das responsáveis por propagar o sinal de forma correta e uniforme. Por mais que sejam omnidirecionais — quer dizer, distribuem o sinal em todos os sentidos —, podem não espalhar o sinal em todas as direções. Para resolver essa questão é preciso posicionar as antenas da melhor forma para aumentar a performance do Wi-Fi.


A posição mais recomendada é apontada para cima, porque os dispositivos que recebem o sinal normalmente ficam no mesmo plano que o roteador. Caso isso não esteja dando certo, procure outras posições e teste a conexão em seu aparelho.


3. Mantenha os aparelhos atualizados

Assim como os demais equipamentos eletrônicos, a tecnologia do Wi-Fi está em evolução constante. Portanto, sempre que possível, é bom atualizar o roteador para conseguir garantir tanto a melhor velocidade do sinal quanto a maior confiabilidade na transmissão dos dados.


Caso não exista a possibilidade de atualizar o aparelho, uma boa solução é adquirir um modelo mais moderno e potente. No mercado tem vários padrões IEEE 802.11 para rede sem fio e, por isso, é preciso prestar atenção na velocidade de transferência de dados de cada um.


Enquanto o padrão B/G/N pode chegar até cerca de 70 Mbps, o padrão AC alcança até cerca de 400 Mbps. Aqui, é importante frisar que o desempenho do roteador está diretamente ligado ao desempenho dos dispositivos que estarão conectados a ele. Isso porque os dispositivos com uma boa configuração de hardware terão desempenho de Wi-Fi superior aos dispositivos com configurações inferiores.


4. Veja se há interferência de outros aparelhos

Como explicamos, existem aparelhos que podem interferir no sinal do Wi-Fi. Caso queira melhorar o sinal no seu ambiente, uma boa opção é remover aqueles que você notar que estão atrapalhando o bom desempenho do roteador, como aparelhos de rádio, telefones sem fio, entre outras coisas do tipo.


Se a remoção não é uma possibilidade, você pode manter os aparelhos afastados o máximo que conseguir. Dessa forma, a frequência do sinal tem a chance de se espalhar com mais facilidade e melhorar o Wi-Fi.


5. Procure o melhor lugar para o roteador

Se você acha que o seu aparelho não combina com a decoração do ambiente, a pior coisa a fazer é deixar escondido dentro ou atrás de um móvel. É muito importante ele ficar posicionado em um local alto e, de preferência, livre de qualquer obstáculo. Além de ter um alcance relativamente curto, o sinal também pode ser facilmente obstruído por obstáculos, como já explicamos acima.


O ideal é ficar no ponto mais central da sua casa ou do seu escritório. Com isso, você consegue garantir que o sinal chegue sem interferências até nos cantos mais distantes do ambiente. Em imóveis de dois ou três andares, o mais aconselhável é colocar um roteador em cada andar.


6. Mude a frequência da rede

Se você prestou atenção no tópico de objetos que prejudicam o sinal do Wi-Fi, já decorou essa dica. Mudar a frequência da rede faz toda a diferença na potência do sinal, porque ela funciona muito melhor na faixa dos 5 GHz.


Existem roteadores com função dual band que desempenham um bom papel tanto na frequência 5 GHz quanto na de 2,4 GHz. Mesmo que cada uma tenha suas peculiaridades, a de 5 GHz tem um aspecto mais amplo, possibilitando atingir velocidades mais elevadas. Por outro lado, a de 2,4 GHz apresenta alcance maior dentro da casa.


7. Considere se há pessoas demais acessando ao mesmo tempo

Quando a internet tem conexão de 100 Mbps, por exemplo, alguns usuários esperam que ela mantenha essa velocidade constantemente. Porém, como já mencionamos, o Wi-Fi pode passar por diversas interferências, as quais reduzem a velocidade total de download e upload no aparelho. De qualquer maneira, uma das maiores interferências possíveis sempre será o próprio usuário que acessa a rede.


Para poder dar conta de todas as demandas de dados, um Wi-Fi precisa dividir sua velocidade de conexão entre todas as pessoas que acessam a rede. Isso significa que, quanto mais pessoas estiverem conectadas, mais a velocidade tende a cair em cada aparelho — algo muito comum em casas com famílias grandes ou em escritórios.


Uma forma de lidar com isso é haver um revezamento no uso de aparelhos e programas que consomem muita rede. Outra opção é aumentar o plano ou programar a rede para priorizar determinados aparelhos, caso um deles seja um computador de trabalho.


8. Invista em uma internet de fibra ótica

Nos últimos anos a internet de fibra óptica vem se tornando a norma entre os planos de internet. O motivo para isso é simples: ela é muito mais eficiente na transmissão de informação. Um único filamento já é suficiente para transmitir dados em alta velocidade, sendo limitado apenas pelo processamento do aparelho.


Em muitos casos, uma velocidade reduzida pode ser apenas o resultado de uma estrutura inadequada. Ao pesquisar planos alternativos, priorize aqueles que oferecem a fibra óptica como uma das opções. Assim que você trocar, sentirá a diferença.


9. Verifique aplicativos que consomem a conexão

Há muitos aplicativos, aparelhos e programas que exigem bastante da sua rede Wi-Fi. É o caso de jogos online, serviços de streaming, programas de download em massa, entre outros. Cada um desses aplicativos exige uma conexão constante e consome boa parte da velocidade da sua banda. Como consequência, outras pessoas quando acessam podem ficar com a internet mais lenta.


Alguns desses aplicativos podem ser iniciados automaticamente. Nesse caso, basta configurar o computador para que eles só sejam iniciados manualmente. Além disso, é bom conversar com as outras pessoas da casa e garantir que a sua quantidade de banda seja compatível com a necessidade ou que façam revezamento do uso mesmo.


10. Busque o provedor e o plano certos

Se nenhuma atitude para melhorar o Wi-Fi na sua casa deu resultado, então pode ser hora de pesquisar um novo plano de internet, que atenda às suas demandas. Contudo, é sempre bom lembrar que existem vários critérios a serem levados em conta nessa avaliação, muitos dos quais terão grande impacto no seu aproveitamento da rede.


Primeiro, a velocidade do plano. Além de buscar fibra óptica, também é importante escolher um plano que ofereça a velocidade de banda adequada para você. Quanto mais aparelhos estiverem conectados simultaneamente, maior ela precisa ser.


Em seguida, confira a qualidade do provedor. Alguns são conhecidos por terem um sinal instável, pela demora na instalação, entre outros problemas. Um pouco de pesquisa o ajuda a encontrar essas informações, evitando que você caia em alguma armadilha.


11. Adicione mais um roteador na rede

Uma forma bastante simples de melhorar o Wi-Fi em casa ou no trabalho é adicionar outro roteador à mesma rede da internet que você já utiliza frequentemente. A maioria dos aparelhos conta com essa função, então pode ser que isso ajude a aumentar a performance do sinal.


Não é recomendado utilizar aqueles aparelhos vendidos como somente repetidores de sinal. Usar mais um roteador conectado a um cabo de rede é mais indicado por conta da frequência das bandas em que ele opera e por trazer maior desempenho e segurança na transmissão dos dados. O investimento é um pouco maior, mas a qualidade da conexão é bem melhor.


12. Troque a senha com frequência

Não é novidade que existe muita gente mal-intencionada por aí, não é mesmo? Muitas vezes, essas pessoas podem estar mais próximas do que a gente imagina. Por esse motivo, uma boa solução para melhorar o Wi-Fi é trocar com certa frequência a senha do roteador. Caso outras pessoas tenham conseguido acesso de alguma forma, ao alterar a senha, não conseguirão mais usar a sua internet.


Além de mudar a senha, é bom utilizar o padrão WPA2, que conta com um modo ainda mais avançado de segurança. Quando for criar a nova senha, procure utilizar números, caracteres especiais, letras maiúsculas e tudo o que puder para deixar difícil de ser hackeada. Outro ponto importante é não usar o seu próprio nome na rede Wi-Fi, pois isso facilita ainda mais a identificação.


Como você percebeu, existem vários objetos que podem interferir no sinal da internet na sua casa ou no trabalho. Caso nenhuma das soluções sugeridas aqui ajudem a melhorar o Wi-Fi, o ideal é contatar o suporte para que analisem o problema e proponham a melhor solução.


Gostou dessas dicas? Então, aproveite para seguir nossas redes sociais e receber conteúdos tão relevantes quanto este diretamente no seu feed de notícias! Estamos no Facebook e no Instagram.